sábado, 31 de janeiro de 2015

Piloto.









O Sótão Iluminado











FIGURA 1

Quase 100 anos atrás, viveu na velha cidade de Londres um menino chamado Tomy, nasceu com um problema muito grave e só podia caminhar com muletas.

Seus pais faleceram num acidente e Tomy ficou aos cuidados de uma senhora idosa parenta da família. Tomy a chamava de “vozinha”, ainda que ela não tivesse nem um pouquinho de amor por Tomy.

Ela era uma pessoa muito má, reclamava, xingava e gritava todo dia. Tomy tentava fazer as tarefas de casa para ela, mas um dia ele já não pode mais caminhar.

A avó reclamou e ficou muito brava e por isso colocou Tomy num sótão sujo e mofado na parte de cima da casa. Nesse sótão tinha uma janelinha para a rua.

Ali Tomy ficava muito sozinho. Tomy começou a lembrar de quando era pequeno e que foi muitas vezes a uma igreja.  Nessa igreja passou momentos lindos ao lado de seu amiguinho Joãozinho. Na igreja cantavam, brincavam e aprendiam muistas histórias da Bíblia, a Palavra de Deus. Aprendeu também que Jesus era O Filho amoroso de Deus.

Então Tomy pensou:

_ Como gostaria de ter uma Bíblia, quero saber mais de Jesus!

Tomy, com muito medo se arriscou e pediu uma Bíblia para a avó. Ele disse:

_ Vovozinha, quero uma Bíblia.

Sabe o que aconteceu? A velha ficou furiosa e gritou:

_ Só faltava isso! Para que você precisa de uma Bíblia, seu tolo?

 

FIGURA 2

Um dia Tomy escutou uns passos na velha escada na entrado do sótão.

Quem seria?

A porta se abriu e… que surpresa!

Era Joãozinho, seu amigo de infância!

- Tomy, disse Joãozinho:

_ Arrumei um emprego muito bom em outra cidade, venho para me despedir e deixar contigo este presente. Mas não quero que uses em coisas sem necessidade!

E tendo dito isso deu uma moeda de ouro para Tomy.

- Oh! Joãozinho!

Exclamou Tomy muito emocionado.

_ Você é muito bom! Sim eu quero comprar algo muito especial para mim!

_ Por favor, desce correndo e compra para mim uma Bíblia!

Joãozinho pensou antes de obedecer Tomy, pois sabia que o amigo necessitava do dinheiro para comprar outras coisas como roupas, alimentos, etc.

Contudo, Joãozinho se levantou e foi comprar a Bíblia para Tomy.

Ao retornar com a Bíblia, a felicidade de Tomy era tanta que Joãozinho se despediu muito satisfeito, ainda que não compreendesse porque um menino pobre gastaria todo seu dinheiro em uma Bíblia!

 

FIGURA 3

Tomy estava muito feliz. Abraçava sua nova Bíblia com seus braçinhos magros. Este era o melhor presente que poderá ganhar.

 

FIGURA 4

Tomy começou a ler e ler sem descansar. Sua felicidade ia aumentando cada dia.

Depois de um mês, Tomy sabia mais da Bíblia que muitas pessoas que dizem que lêem a Bíblia por anos. Quando leu o que Jesus tinha feito por ele, que havia deixado o céu, que havia morrido na cruz do calvário e que havia ressuscitado, Tomy chorava com muita emoção.

Assim, Tomy entendeu que tinha que fazer uma coisa muito importante. O que seria?

Fechou seus olhos e disse:

_ Querido Senhor Jesus, eu abro a porta do meu coração, venha viver agora mesmo comigo. Limpe-me de todos os meus pecados, quero fazer tudo o que agrada ao Senhor!

Agora sim, ele era totalmente feliz. Até aquele quarto feio e fedorento parecia iluminado e lindo, ele não estava mais sozinho, Jesus estava com ele dia e noite!

Numa tarde lendo a Bíblia encontrou estas palavras do seu querido Jesus:

_ Vão por todo o mundo e preguem as boas notícias de minha salvação.

- Eu quero fazer isto!

Gritou entusiasmado.

_ Mas…como, se não posso nem me mexer desta cama?

_ Por favor, querido Senhor Jesus, me diga como posso fazer?

 

FIGURA 5

Um dia, Tomy teve uma brilhante idéia, chamou a sua avó e disse:

_ Vovozinha, não compre leite para mim hoje.  Por favor, se a senhora puder me compre papel e lápis.

- Papel e lápis em lugar de leite?

_ Você está completamente maluco! Disse a avó.

Mas, como não se importava com a saúde de Tomy, fez o que ele pediu.

Nesse dia Tomy não comeu, mais cortou aquele papel em muitos pedaços, em cada pedaço escreveu cuidadosamente um texto bíblico da Palavra de Deus.

 

FIGURA 6

Como sua cama era perto da janela, pegou todos os papeizinhos e os jogou em direção a rua, pareciam pombinhas brancas descendo do céu.

As pessoas que passavam por ali ficavam surpresas, paravam, recolhiam os papeizinhos e liam todos, olhavam para cima, mas só enxergavam às vezes uma mãozinha na janela mais alta do prédio.

 

FIGURA 7

Dias após dias, Tomy enviou seus mensageiros brancos pela janela daquele sótão.  Tomy tinha o cuidado de orar por cada papelzinho que escrevia e jogava para baixo.

Num anoitecer, escutou uns passos desconhecido na escada. A porta se abriu e apareceu um senhor muito elegante. Este senhor se sentou pertinho do Tomy e disse:

_ Então é você que joga os papeizinhos desde o céu?

_ Você sabe filho, que muita gente lê as tuas mensagens e são muito abençoadas?

_ Sou uma dessas pessoas e quero agradecer-te pessoalmente!

_ Meu filho, disse o homem elegante:

_ Faz 23 anos que conheço Jesus, mas nunca O servi. Vivo no campo e tive de vir a cidade para resolver alguns negócios.  Ontem, passando por esta rua, caiu no meu chapéu um destes papeizinhos. Nele, havia um texto onde Deus dizia que deveríamos trabalhar para Ele antes que fosse demasiado tarde.

_ Caí de joelhos perante o Senhor e ali mesmo tomei a decisão de trabalhar e servir a Deus pelo resto da minha vida. Por isso estou aqui, quero te agradecer, sei que o Senhor usou sua vida para falar comigo.

- Não me agradeça, disse Tomy, radiante.  Só escrevo trechinhos da Palavra de Deus, é Deus quem faz a obra e abençoa as pessoas. Quando faço isso sou tão feliz, que até me esqueço da dor que tenho nas costas e  da minha doença!

O senhor disse a Tomy:

_ Tomy, quero que você venha comigo para minha casa, ali você será amado e cuidado, poderá ver as flores, árvores e muitos animais!

- Muito obrigado, disse Tomy, devo ficar aqui e cumprir a minha missão. Sei que Jesus vai me levar para viver na Sua mansão, será maravilhoso! Não tenho tempo a perder!

O senhor elegante, não conseguiu convencer Tomy mas, arrumou uma senhora crente, muito querida, para que cuidasse de Tomy. Ela cuidava de sua alimentação, da limpeza do quarto e da compra de todo papel que Tomy precisasse para enviar suas mensagens.

 

FIGURA 8

Aquele homem voltou para seu lar no campo e começou uma grande obra para Deus.

Um dia recebeu uma carta e um pacote.  Na carta dizia que Tomy tinha ido viver com Jesus no céu e no pacote estava a preciosa Bíblia de Tomy.

Passaram muitos anos, um dia o filho deste senhor, pegou a Bíblia de Tomy e foi para um lugar muito distante: África Central. Ali dedicou sua vida a falar de Jesus aos africanos que eram muito carentes.

Lia a Bíblia de Tomy para eles e contava a sua historia. Muitos africanos se entregaram ao Senhor Jesus. Hoje todos eles estão no céu, acredito que quando chegaram ao céu deram um grande abraço no Tomy e disseram para ele:

- Muito obrigado! A luz que você acendeu no seu quarto, lá encima, chegou tão longe que nos alcançou lá na África!

Gloria a Deus!



( de Gabriela Pache de Fiuza)

Perpétua








A escolha de dourada.



















O Nascimento de Jesus












Havia uma mulher chamada Maria. Ela era uma pessoa muito dedicada ás coisas de Deus.
O Senhor escolheu aquela moça para algo muito importante que iria acontecer.

figura1 O anjo Gabriel apareceu diante de Maria e disse: "_ Maria! Você é uma pessoa abençoada! Você está esperando uma criança que será o salvador do mundo!
Maria quando ouviu aquilo logo perguntou: Eu? Mas nem me casei ainda! Como é que estou esperando um bebê?
O Anjo então, lhe respondeu: Você está esperando uma criança que é o filho de Deus. Você dará a ele o nome de Jesus, ele vai salvar as pessoas dos seus pecados.
E foi o que aconteceu. Maria e José, que era seu noivo, acabaram se casando, pois José também havia recebido em sonhos que maria estava grávida ( Mateus 1:18 - 25).
Justamente naquele período, José recebeu uma ordem do governo daquela época para ir registrar seu nome onde havia nascido. Naquele tempo não havia computadores ou internet, o que tornava o registro de nascimento algo muito difícil.
Assim, lá foi ele viajando com sua esposa, até uma pequena cidade chamada Belém.

figura 2 Ao chegar aquele lugar, procurou uma pensão, pois estavam cansados, mas ela estava cheia. Muitas pessoas haviam recebido aquela ordem do governo e tinham ido até Belém naquele período.
Maria estava tão cansada que acabou aceitando, a oferta do dono da estalagem: dormir no curral, onde os animais passavam a noite. Era o único lugar para poderem dormir. E seria apenas aquela noite, logo resolveriam o assunto do registro e voltariam a estrada. Assim pensavam eles...
Mas foi naquela noite que Jesus nasceu. Maria cobriu a criança com os panos que tinha. Estavam cansados mas muito felizes, pois Deus era quem estava conduzindo todas as  coisas.
Você sabe que quando nasce uma criança, logo a família espalha a notícia. Quando Jesus nasceu a notícia se espalhou rapidamente e não foi por Maria, não. Ali foi diferente. Naquela mesma noite estavam alguns pastores cuidado do seu rebanho.


figura 3  eles iam á noite porque era mais fresco, melhor para trabalhar. Sobre o que estavam conversando, ninguém sabe, mas ali estavam eles. De repente, veio assim do nada um anjo e eles ficaram morrendo de medo!


figura 4  O anjo, então lhes disse: "_ Não tenham medo! Eu trago notícias maravilhosas! Lá na cidade de Belém , a cidade de Davi, nasceu o salvador, aquele que vocês estão esperando há tanto tempo! E vocês saberão quem é a criança porque ela está em um estábulo, onde ficam os animais, deitada no lugar onde os bichos comem.
O menino está enrolado em uns panos." Vão lá e verão o que acabei de lhes contar!.
Depois dessa informação apareceu um coro maravilhoso no céu, cantando hino de louvor a Deus. Se fosse você o que você faria? Acredito que sairia correndo para ver o que estava acontecendo, certo?pois com aqueles homens aconteceu a mesma coisa. Quando o anjo foi embora, eles decidiram ir a belém para confirmar o que haviam ouvido da parte do anjo. e era verdade mesmo!


figura 5  A criança estava ali exatamente como o anjo havia dito. Eles voltaram contando a notícia para todas as pessoas. Quando a gente sabe de uma novidade, normalmente saímos a contar para todas as pessoas, não é mesmo? É uma maneira de mostrarmos que estamos felizes, e queremos que todos saibam o que aconteceu. Os pastores que vira Jesus estavam tão felizes, que saíram a contar a todas as pessoas sobre o nascimento de Jesus.
Bem distante dali, algo diferente apareceu no céu. Era diferente porque os estudiosos das estrelas nunca tinham visto nada parecido. Uma estrela que brilhava mais forte que todas as outras!


figura 6  Quando a viram, decidiram seguí-la, pois sabiam que ela anunciava o nascimento de uma pessoa importante. Naquele tempo, quando algo fora do comum apareciano céu, diziam que estava nascendo uma pessoa importante,


figura 7  Os magos ( Atenção: não eram três, não eram reis e a biblia não fala o nome de nenhum deles), guiados pela estrela, chegaram a Jerusalém e foram direto ao palácio do rei  Herodes.
Lá descobriram que não havia nascido nenhuma criança, mas souberam que em belém, o rei dos Judeus deveria nascer. Dali, foram até a cidadezinha.


figura 8  e, ao perceberem que a etrela havia parado sobre uma casa, logo entrara nela.


figura 9  Apresentaram-se a Maria e a José, contaram sua história e ofereceram a Jesus três presentes muito valiosos naquela época: ouro, incenso e mirra.
Que presente você daria a Jesus? Há crianças que gostaríam de dar os melhores brinquedos que têm. Há outras  que gostariam de dizer: _ Ele pode escolher! E você, deixaria Jesus escolher algo que você tem para que fosse dele?
Pensamos em coisas para dar a Jesus. Pensamos em objetos, naquilo que podemos pegar. Mas Jesus quer outra coisa: ele quer seu coração. É um presente que está sujo de pecado, mas assim mesmo ele o quer. Jesus não se importa com a aparência, ele se importa com o valor do presente. E para ele, seu coração, que é a sua vida , vale muito!


Kevin aprende a obedecer.















KEVIN APRENDE A OBEDEDECER

(Escrituras: Ef. 6:1; Isa. 1:17a; Prov. 20:11; II Cor. 6:12)


1-      “Kevin, é hora de almoçar!” Mamãe chamou. “Venha lavar as mãos.”
“Um instante”, Kevin respondeu. Mas, a verdade é que dez minutos tinham passado antes de Kevin levantar-se e entrar em casa.
O triste fato é que cada vez que Kevin era chamado para fazer qualquer coisa, sempre respondia: “Um instante.” E sempre demorava. (Obs.: “Um instante” pode ser substituído por “Espera um pouquinho”)

Kevin era um menino muito simpático, com cabelo ruivo e grandes olhos castanhos; tinha o rosto e braços pintadinhos de sardas. Estava sempre alegre assobiando, sorrindo e louquinho para brincar.

2- No verão anterior, Kevin tinha freqüentado a Escola Bíblica de Férias, onde havia aprendido que ele era um pecador e que precisava do Senhor Jesus para salvá-lo do pecado. (Professor se há crianças não salvas na sua classe, tome tempo aqui para explicar o caminho da salvação, usando o Livro Sem Palavras).

Kevin tinha convidado Jesus para entrar em seu coração. Agora, ele queria agradar a Jesus em tudo. Mas, mesmo com Jesus no coração, Kevin continuava com o mesmo costume de responder “um instante”, quando mamãe o chamava. Na sua opinião, aquilo que estava fazendo no momento era muito mais importante do que a coisa que a mamãe queria que fizesse.

3- Ás vezes mamãe queria que Kevin lhe ajudasse, cuidando da irmãzinha durante pouco tempo. E Kevin sempre respondia, “Um instante mamãe.” Quando ela queria que guardasse seus brinquedos, arrumasse o quarto, tirasse o lixo, pusesse a mesa ou buscasse alguma coisa na venda, Kevin sempre respondia da mesma maneira: “Um instante mamãe.”

Para o papai, a mesma resposta. Se era para dar comida para o cachorro, ajudar a capinar o jardim, trazer o martelo, era sempre: “Um instante papai.” Parecia que Kevin falava “um instante” mas vezes do que qualquer outra coisa! Estava tão interessado naquilo que andava fazendo que não reconhecia que, agindo desta maneira, estava sendo egoísta e desobediente.
Desobediente aos pais e também a Deus. Como muitas outras crianças, Kevin queria sua própria vontade, sem ninguém interrompê-lo.

Não fazia diferença se era de levantar-se ou ir para a cama, hora de ir à escola ou a igreja, tempo de trabalhar, hora de escovar os dentes, lavar as mãos ou qualquer outro dever. Em toda e qualquer situação sempre a mesminha resposta tão conhecida: “Um instante!” Vocês estão percebendo que Kevin tinha um costume muito ruim não é verdade?

Claro que seus pais estavam preocupados com aquilo. Tinham procurado de todas as maneiras mostrar-lhe que era muito errado agir assim. Até deram-lhe algumas palmadas, mas Kevin logo se esqueceu. Depois como castigo, não permitiram que Kevin convidasse seus amiguinhos para brincar no quintal durante vários dias.
Também ele não podia sair para brincar fora. Mesmo assim, nada adiantou. Não sabiam o que fazer mais para melhorar a situação, mas estavam orando e pedindo ao Senhor Jesus que lhes mostrasse como poderiam ensinar seu filhinho a ser mais obediente. (Prov. 22:6)

Num lindo dia de verão, a mãe de Kevin chamou-o várias vezes para fazer seus deveres se casa, recebendo sempre a resposta costumeira: “Um instante mamãe.” E agora, na hora do almoço, estava chamando-o para lavar as mãos, e ouviu novamente: “Um instante mamãe.”

“Ó Pai Celeste”, mamãe orou, “mostra-me o que devo fazer para ajudar Kevin. Logo vai entrar na escola e, se não souber obedecer prontamente, vai ser difícil para ele. Ele é um bom menino, Senhor. Muito obrigada por meu filhinho. Mas, Senhor, faz-me saber como ensinar a obediência.”

4- “Aqui estou mamãe! Que há para o almoço?” Kevin perguntou da porta. Mamãe virou-se. Lá estava ele, sorridente, mas com suas roupas sujas e bastante lama nos sapatos.

5- “Kevin, faz dez minutos que chamei para que você viesse e se arrumasse para o almoço. Por que não atende quando a gente chama? Veja só seus sapatos e roupas! Você sabe perfeitamente que está sendo malcriado quando fica demorando, como sempre faz, antes de obedecer,” mamãe repreendeu-o seriamente.

“Mas mamãe,” Kevin respondeu, “eu estava ocupado quando a senhora me chamou, tinha que terminar o que estava fazendo.”

“Pois bem Kevin, outros também estão ocupados, não é verdade? Você não deve pensar também nos outros? Sabe Kevin Deus não fica contente e a mamãe não gosta quando você age desta maneira. A palavra de Deus diz que a desobediência é pecado. Por favor, filho, procure lembrar-se disto e obedeça imediatamente no futuro.”

6- Depois do almoço, Kevin saiu novamente. Com que poderia brincar? Olhou para a macieira... Por que não brincar de “Tarzan”? A macieira não era realmente o mato e as selvas, mas ele poderia fazer de conta... Buscou uma cadeira da cozinha e, subindo conseguiu alcançar com as mãos o primeiro galho da árvore. Pulando para cima e balançando os pés, conseguiu arrastar-se em cima do galho. Depois, esticou-se, puxando e subindo, foi bem alto.

A mãe vendo Kevin trepado na árvore, gritou: “Kevin, cuidado! Você não pode descer daí sozinho. Quando quiser descer, me chame que irei ajudá-lo.”
“Está bem mamãe; aviso à senhora.” Kevin respondeu.
O menino brincou durante algum tempo, olhando os cachorros e gatos e pessoas nos quintais vizinhos. Viu também um cabrito, e fez de conta que ele era um grande rinoceronte com chifres enormes. Claro que ele mesmo era o Tarzan, forte corajoso, proto para pular de uma árvore para outra, através do mato, e salvar a vida de qualquer um que estivesse em perigo.

7- Estava realmente se divertindo. Mas de repente, viu o sorveteiro entrar em sua rua.
“Opa! Quero um sorvete de chocolate!” ele gritou, preparando-se para descer. Foi quando olhou para baixo e viu que estava bem mais alto do que tinha imaginado. A idéia de descer enchia-o de medo, e logo resolveu que o jeito era mesmo, chamar a mamãe. “Mamãe, mãe... vem me ajudar. O sorveteiro está chegando e quero um sorvete. Depressa, mãe!” mamãe enxugou as mãos e foi indo em direção a porta, assim com qualquer mãe faria. De repente, antes de abrir a porta ela pensou: “Ele não está em perigo, pode esperar um pouco. Talvez, se eu não atender logo, Kevin vá entender como prejudica aos outros quando não atende prontamente.”
“Um instante filho!” Mamãe respondeu e continuou seu trabalho.
8- Kevin gritou novamente, bem mais alto desta vez: “Mamãe estou com pressa! O sorveteiro está passando. Por favor mãe!”
“Um instante Kevin. Logo termino e então vou ai.” Respondeu mamãe, sorrindo com seus botões.

Kevin dava ponta-pé na árvore, gritando e começando a chorar, mas nada aconteceu. Mamãe, espiando pela janela, viu que ele não corria perigo e, assim, não se apressou. Tudo ficou em silêncio. O sorveteiro já tinha virado a esquina. Sua voz ainda soava de longe: “S-O-R-V-E-T-E”, mas já estava no outro quarteirão.
Calmamente mamãe saiu da porta e dirigiu-se para a árvore. Olhando para cima disse: “Agora querido, já terminei. Vamos descer?”

9- Em pouco tempo Kevin estava no chão, mas tinha lágrimas descendo pela suas facas pintadinhas de sardas.
“O homem já passou” ele reclamava entre soluços. “A senhora fez com que eu perdesse o sorvete, justamente quando eu queria tanto tomar um sorvete. Por que não veio quando lhe chamei?”
“Uai, meu bem, eu lhe disse um instante, assim como você sempre responde para mim,” mamãe respondeu, mantendo sua voz e o rosto sério.
De repente Kevin parou de chorar e virou-se para ela, com os olhos arregalados. “Assim que a senhora e o papai ficam quando eu não atendo?” Ele perguntou.
“É sim filho. Você está percebendo como é desagradável esperar e como prejudica a gente?”
“Desculpe mamãe. Vou fazer esforço para nunca mais responder “um instante”. Vou procurar atender logo que a senhora me chamar.”

10- “Que ótimo Kevin! Você não acha que devemos pedir a Jesus que Ele ajude você a obedecer, mesmo quando queira continuar com aquilo que está fazendo?”
Ali mesmo, debaixo da macieira, Kevin e sua mãe se ajoelharam. Kevin pediu perdão ao Senhor Jesus por ter sido egoísta e por não ter obedecido prontamente aos seus pais. Pediu também que Jesus o ajudasse a obedecer no futuro.
Ao levantarem, mamãe disse: “Vamos lá dentro Kevin. Se não me engano, temos sorvete de chocolate no congelador.”

11- De fato havia sorvete de chocolate, e mamãe deu um sorvete duplo para Kevin, dentro de uma casquinha. Sorriram um para o outro, e mamãe tinha certeza de que Kevin estava entendendo e aprendendo a lição de obediência.
Você sempre obedece prontamente à mamãe e o papai? Deus manda aos filhos que sejam obedientes aos pais. (Ef. 6:1)

E quem ainda não recebeu Jesus como Salvador, está desobedecendo ao convite: “Vinde a Mim.” (Mt. 11:28) A Bíblia diz em II Cor. 6:2, “Eis agora o dia da salvação.” Você não deve deixar para mais tarde. Se ainda não recebeu Jesus como seu Salvador e quer recebê-lo hoje, venha conversas comigo agora no fim da aula, quando as outras crianças vão saindo. Quero ajudar a orar, convidando Jesus para ser seu Salvador.

Talvez haja alguém que queria agradar a Jesus durante esta semana passada, mas você falhou assim como Kevin fazia. Você não quer entregar-se inteiramente ao Senhor Jesus, pedindo que Ele lhe dê a vitória sobre o pecado e faça sua vida semelhante à vida dELE? Se você quer, também poderá ficar para conversar comigo durante uns minutos.